Anita Garibaldi, de Thales Guaracy (opinião)

quarta-feira, fevereiro 14, 2018


Sinopse:
   Inseparável companheira de Giuseppe Garibaldi, guerrilheiros na América do Sul e heróis da unificação da Itália.
   Neste livro repleto de beleza e cores realistas, tão chocante quanto maravilhoso, tão particular quanto universal, vemos Anita pelos olhos de Giuseppe Garibaldi, a única pessoa que testemunhou realmente a vida da revolucionária. E assim conhecemos a mulher que se lança sozinha sobre o exército inimigo; que por ciúmes corta os cabelos do marido e o ameaça com um par de pistolas; que abandona os próprios filhos entre desconhecidos para atravessar um país em convulsão, escondida sob a correspondência num carro de correio, até uma cidade sitiada.
   Anita Garibaldi aprendeu que as causas perdidas são as mais certas, tornando-se numa das mais extraordinárias personagens da história, considerada a heroína de dois mundos, precursora e símbolo do feminismo, e a representação da mulher forte e independente.

Opinião:
   Este foi um livro que despertou, desde logo, a minha curiosidade pela belíssima capa e, posteriormente, pela sinopse. Assim, decidi solicitar um exemplar à 4 estações editora/ O Castor de Papel, que desde logo se mostraram disponíveis para realizar o envio. 
   Gostei do facto do livro narrar acontecimentos históricos que nos levam a conhecer melhor todo o percurso de Anita e, inevitavelmente, de Giuseppe Garibaldi. Claro que, com essas histórias, vêm as narrativas relacionadas com a guerra e com todos os obstáculos com que eles se depararam durante o seu percurso.
   A escrita tem um toque poético que considero interessante, mas as cenas são muito descritivas, por vezes de forma demasiado exaustiva, o que acaba por tornar o livro um pouco denso, e não muito eficaz em prender a minha atenção à história.
   Penso que a estrutura do livro acaba por também não auxiliar na sua leitura uma vez que apresenta apenas três capítulos. Este facto, dificulta a organização do leitor quando pretende para de ler e voltar a retomar a narrativa. 
   A história é narrada na terceira pessoa e oscila entre momentos passados e presentes, acabando por mostrar apenas a perspectiva de Giuseppe, sendo que não temos propriamente o ponto de vista de Anita ao longo da narrativa. Ainda assim, este facto leva-nos a perceber o quanto ele confiava, admirava e amava a sua mulher.
   É um livro com uma heroína de personalidade inabalável, que mostra sem dúvida os primeiros passos do feminismo e leva qualquer pessoa a admirar a sua força e determinação.
   Apesar de ter alguns pontos que não considerei tão atractivos, é uma leitura que não me arrependo de ter feito e que recomendo a todos aqueles que gostam de aventura, romance e mulheres guerreiras totalmente destemidas.

   
Classificação:

Poderá também gostar de…

2 comentários

  1. Estou muito curiosa com este livro e gostava de conhecer a história desta guerrilheira.

    ResponderEliminar
  2. Vi a novela brasileira "A casa das sete mulheres", baseada no livro de Letícia Wierzchowski (o qual também li e adorei). Gostei bastante da novela que abrangia a história de Giuseppe Garibaldi e o romance com Anita Garibaldi. Agora vou querer ler também este livro! Boas leituras!

    ResponderEliminar

Arquivo do blogue

Ganhe dinheiro online

A autora deste blog diz

 photo 4df5ac71-4249-4446-b2f6-16f8fbf99138_zpszhyndcg4.jpg