Palmela convida a viajar no tempo até à época medieval.

   Palco de lutas entre cristãos e mouros, a história regressa ao Castelo para três dias de animação, cultura e aventura.
   Entre o Castelo e o Centro Histórico com bailes e danças populares, jogos tradicionais, demonstrações de armas e torneios, desfiles temáticos, artes de rua e mercado medieval.

   A Feira Medieval de Palmela, em 2017, evoca quatro datas de conquista de Palmela e do seu castelo, durante o século XII, o período de formação da urbe cristã e a preparação da conquista de Alcácer do Sal, em 1217.
   - 1147: Primeira tomada de Palmela pelos portugueses na sequência da conquista de Lisboa. Durante a conquista desta cidade, dez muçulmanos fogem numa canoa transportando mensagens de pedido de auxílio dirigidas ao emir de Évora, que tentam fazer chegar a Palmela; a canoa é perseguida pelos cristãos e os muçulmanos, apavorados, abandonam-na, deixando nela as mensagens.
   - 1165: Segunda tomada de Palmela pelos portugueses, uma vez que o castelo e a povoação haviam sido reocupados pelos muçulmanos pouco depois de 1147. Neste ano de 1165 vários castelos da região são recuperados pelos cristãos.
   - 1165 a 1191: Definição do povoado cristão de Palmela.
   - 1191: Conquista do castelo pelos almóadas, muçulmanos provenientes do Norte de África liderados pelo califa Abu Yacuf Al-Mansur. A fortaleza foi atacada, devastada e incendiada. 
   - 1194 a 1217: As hostes régias e as da Ordem de Santiago recuperam Palmela aos almóadas, entre 1194-95. É então que a Ordem de Santiago instala o seu convento/ quartel-general no castelo e vai fazendo guerra de desgaste aos almóadas de Alcácer, preparando o grande confronto de 1217.
   O comendador-mor da Ordem de Santiago, em Portugal, era Martim Barregão, comendador de Palmela. Este destacado líder vai comandar as hostes da Ordem de Santiago na batalha de Alcácer do Sal (1217) entre cristãos e muçulmanos, cabendo a vitória aos portugueses.

Preços:
   As entradas na Feira Medieval estão sujeitas à aquisição de bilhete de entrada e respectiva pulseira.
Entrada para 1 dia: €2,50
Entrada para 3 dias: €5,00
Visitantes com idade igual ou inferior a 12 anos: entrada gratuita

Horário de Funcionamento:
Dia 22 de setembro, sexta-feira das 17h00 às 24h00;
Dia 23 e 24 de setembro, sábado e domingo das 14h00 às 24h00.

Programa:
Podem consultar o programa completo aqui.


   Esta é uma feira que gosto imenso e que fica perto do meu local de residência. Costumo estar presente todos os anos e fico sempre encantada com as maravilhosas recriações que se fazem neste local mágico. 
   Apesar de se pagar a entrada, o dinheiro gasto vale cada cêntimo devido à qualidade do espaço e das representações. Recomendo a quem morar aqui por perto e tiver curiosidade, ou desejo de passar um fim de semana diferente!
   Posteriormente, irei efectuar um post com os melhores momentos desta feira medieval! Fiquem atentos!
   Até breve...
Formato: 16x24cm
Pvp C/Iva: 14.90€ 
Nº Pg: 208 
Peso:320g

   O relacionamento apresentado neste livro mostra uma realidade que inúmeras mulheres enfrentam na vida quotidiana, tanto real como virtual, ao encontrarem parceiros portadores da Síndrome de Peter Pan. A história mostra as dificuldades vividas pelo homem Peter Pan e, também, pelas pessoas que se relacionam com ele. No desenrolar da trama, verá que este comportamento é muito mais comum do que se imagina, e provavelmente identificará alguém do seu convívio que possui o perfil do homem Peter Pan.
   Se este comportamento trás sofrimento as pessoas directamente envolvidas, muito maior é o dano quando estas atitudes se multiplicam e passam a dominar o comportamento de uma sociedade.
   E é, precisamente o que vivemos hoje, uma sociedade carente de adultos, de referências maduras e de verdadeiros líderes, mas, saturada de comportamento adolescente. Uma sociedade de Peter Pans vive à margem do mundo real, caminhando sem rumo e sem propósito, resultando na estagnação de toda uma geração.

Eliana Guimarães Pyhn

   Graduada em Psicologia Clínica e Naturolgia. Especialista em Iridologia e pós-graduada em Medicina Integrativa e Medicina Metabólica. Autora de diversos livros.

   Numa iniciativa da Presidência da República, em colaboração com a Associação Portuguesa de Editores e Livreiros, irá ter lugar nos Jardins do Palácio de Belém, entre os dias 21 e 24 de Setembro, a Festa do Livro em Belém, evento consagrado à promoção dos autores de Língua Portuguesa.
   A Festa do Livro em Belém contará com a participação de cerca de 50 editores nacionais que brindarão os visitantes com as suas obras e a presença de alguns dos seus prestigiados autores.
São muitos e variados os motivos para visitar este evento: poesia, debates, cinema, concertos, sessões de autógrafos e lançamento de livros.
   Existirá um espaço reservado aos mais pequenos, dinamizado pela Rede de Bibliotecas de Lisboa e que terá jogos didácticos, música para bebés e crianças, contos, teatro, oficinas musicais e leituras em família.
   Para maior comodidade dos visitantes, existirão várias zonas de leitura com uma ligação aberta ao Jardim Botânico Tropical, e uma zona de restauração com ampla oferta de espaços e produtos.
   A Festa do Livro em Belém é realizada em parceria com as Bibliotecas Municipais de Lisboa, o Teatro Nacional D. Maria II e a Cinemateca Portuguesa.

A entrada é gratuita, com o seguinte horário:
- Quinta-feira | 18h00-22h00 (bancas de livros encerram às 22h00)
- Sexta-feira | 11h00-00h00 (bancas de livros encerram às 22h00)
- Sábado | 11h00-00h00 (bancas de livros encerram às 22h00)
- Domingo | 11h00-22h00 (bancas de livros encerram às 20h00)

   Consulte a programação completa desta iniciativa aqui.

Sinopse:
   Axi Moore era uma aluna aplicada. Mas não gostava de dar nas vistas e não contava a ninguém que o que realmente desejava era fugir de tudo. A única pessoa no mundo em quem confiava era Robinson, o seu melhor amigo, por quem estava secretamente apaixonada. 
   Quando finalmente decide seguir os seus impulsos e quebrar as regras, Axi convida Robinson para a acompanhar na sua longa viagem. Uma jornada intempestiva, marcada pela paixão oculta e pelo desejo de descobrir o mundo. Mas o que no início era apenas uma aventura livre e despreocupada em breve vai tomar um rumo perigoso e incontrolável. 
   Envolvidos numa sucessão de acontecimentos violentos e dramáticos, os protagonistas são colocados à prova das mais variadas formas. Poderá a primeira grande paixão das suas vidas sobreviver a tudo, até que a morte os separe?

Opinião:
   Este é um livro que já li há algum tempo mas ainda não tinha tido oportunidade de escrever opinião aqui no blog. 
   Fiquei curiosa pela sinopse e esperava um romance jovem e descontraído, sem grandes dramas e com um toque de humor. Contudo, este livro é muito mais intenso e muito mais duro do que estava à espera.
   A história é contada na perspectiva de Axi, uma personagem com uma vida familiar extremamente complexa, que procura um escape e decide partir à aventura com o seu melhor amigo Robinson.
   À medida que a história avança, percebemos que o tom de felicidade e leveza é aprofundado e são explorados os problemas de cada um dos personagens que têm em comum um historial de saúde ligado ao cancro.
   Existem ao longo da narrativa descrições impressionantes de alguém que sofreu com o cancro. Surgem as grandes questões do porquê do corpo se atacar a ele próprio e porque é que alguém é afectado por esta doença e não outra pessoa qualquer.
   Com todos estes ingredientes, é impossível não nos apaixonarmos pelos personagens principais que são encantadores e devido à sua própria vida, bem como à família que os rodeia, são forçados a aprender desde cedo como lidar com a dor e com a perda.
   Ainda assim, a história apresenta frases e situações muito engraçadas, típicas de adolescentes rebeldes e as recorrentes dúvidas sobre o amor e sentimentos. É uma narrativa que prende a atenção do leitor, escrita de forma simples e de fácil compreensão. Os capítulos são curtinhos, o que permite fazer uma pausa na história de forma muito fácil.
   Notei neste livro algumas semelhanças com "A Culpa é das Estrelas", não só pelos temas abordados mas também pela coragem dos personagens principais. Noutros pontos, também me lembrei imenso do livro "Cidades de Papel", principalmente devido às referências que surgem ao livro "Folhas de Erva" de Whitman. 
   Se pensam ler este livro, só vos digo para estarem bem preparados pois o seu final é de cortar o coração! É um livro muito bom, que me surpreendeu pela positiva, mas que acabou por mexer muito mais com o meu lado emocional do que eu estava à espera. 
   Recomendo a todos os fãs de romances jovens, com um toque de drama. 
   

Classificação: