Quem segue o blog regularmente, já sabe que adoro responder a tags e dar-vos a conhecer um pouco mais sobre mim!
    Encontrei a tag que vos trago hoje no blog "Crónicas da Su" e não resisti a trazê-la aqui para o meu cantinho.
   Vamos lá então às perguntas e respectivas respostas!


01.Quais os temas que você mais gosta de pesquisar e compartilhar?
   Os temas que mais partilho estão relacionados com a minha paixão por livros! Adoro ficar a par das novidades e lançamentos! Também gosto imenso de compartilhar convosco a minha opinião sobre alguns dos livros que vou lendo. E, como este é um blog pessoal, por vezes também partilho convosco as minhas férias e outros interesses, como por exemplo as feiras medievais.

02. Quais habilidades você desenvolveu através do seu blog?
   Uma habilidade que fui desenvolvendo foi trabalhar com html, não sou nenhuma expert mas consigo fazer o essencial para colocar o blog ao meu gosto! Penso que ter um blog, acaba por nos forçar também a desenvolver imenso a nossa criatividade.

03. Seu blog te incentiva a criar novos planos e projectos? Quais?
   O facto de ter um blog muito centrado no mundo da literatura incentiva-me a ler ainda mais, e a descobrir novos géneros literários que antes não apreciava tanto. Além disso, permite-me criar metas e objectivos de leitura que vou colocando anualmente através dos desafios literários.

04. Qual a relação do seu blog com sua trajectória profissional?
   O meu blog não se encontra relacionado com a minha trajectória profissional e esse facto é intencional. Quero que o meu blog seja algo apenas dedicado ao que gosto de fazer nos tempos livres!

05. Como seu blog ajuda as pessoas?
   Não posso dar uma resposta acertada a esta pergunta, pois penso que só os leitores poderiam responder. Contudo, este blog pode ajudar as pessoas a conheceram novos livros, datas de lançamento que aguardam há muito, e diversos eventos que vou divulgando.

   Espero que tenham gostado! A Tag é curtinha mas nunca tinha respondido a nenhuma deste género aqui no blog, que se relacionasse tão directamente com o mesmo, e fiquei entusiasmada com estas perguntas!
   Sintam-se à vontade para levar a Tag para os vossos blogs se assim o desejarem.
   Até breve...
Número Páginas: 512 
Dimensões: 10 x 10 x 10 mm

   Alice e Jake, apaixonados e recém-casados, recebem um insólito presente de casamento: uma chave que lhes permite a entrada num clube secreto chamado O Pacto. Ambos têm fortes motivos para acreditar que não terão nada a perder. Muito pelo contrário. Todos os seus membros são bem-sucedidos e aparentemente felizes. E, à primeira vista, as regras parecem fazer todo o sentido.
   O objectivo do clube? Um casamento feliz e duradouro. E também festas glamorosas, amizades fortes, uma sensação de comunhão com os outros participantes, que apenas querem o melhor uns para os outros.
   E tudo corre bem... até ao dia em que alguém quebra uma das regras... 
   Pois, à semelhança do matrimónio, O Pacto deve ser um compromisso para toda a vida. Alice e Jake depressa descobrem que, para que assim seja, vale absolutamente tudo. O seu casamento de sonho está prestes a tornar-se um tremendo pesadelo. Será o amor deles realmente para a eternidade? Ou terão ambos cometido um erro fatal?
   Suspense psicológico num ritmo alucinante, esta obra de Michelle Richmond é intensa, aterradora e... irresistível.

Michelle Richmond
   É uma escritora e ensaísta americana. Nasceu em Demopolis, Alabama, nos Estados Unidos da América. 
   Já anteriormente premiada, como autora de ficção, O Ano do Nevoeiro é o seu segundo romance e foi, em 2007, um bestseller dos mais importantes jornais americanos.

   Ás vezes é importante parar para agradecer, reconhecer as coisas boas e ficar grata por estas estarem presentes. 
   No dia-a-dia acabamos por criar determinadas rotinas, mesmo quando existe mais tempo disponível há certas coisas que não temos o hábito de fazer... não é que as ignoremos ou que não as queiramos fazer, por vezes simplesmente acabam por nos escapar.
   Hoje, tirei um tempo para me focar nas coisas boas. Entre elas posso contar este meu espaço no mundo imenso da internet. Sei que não é o blog mais maravilhoso, sei que por vezes poderia fazer ainda mais e melhor... mas vou fazendo aquilo que consigo e para o qual sinto vontade. 
   Uma vez que estou em espírito de agradecimento, seria impossível não agradecer a todos os que me têm seguido ao longo destes dois anos e oito meses, através deste meu cantinho. Sei que nem sempre respondo aos vossos comentários ou consigo interagir directamente convosco, mas leio cada mensagem que aqui deixam e reconheço o vosso carinho e apoio. 
   Outro facto que me fez escrever este post, foi o blog já ter ultrapassado as 111,000 visualizações, e os 700 seguidores via GFC... já para não falar dos mais de 3400 seguidores via facebook!
   Este post é especialmente dedicado a todos aqueles que gostam deste espaço, que se identificam com ele... sem vocês nada disto seria possível e nunca teria alcançado estas metas. 
   Continuem desse lado! Eu prometo continuar a dar o meu melhor! 
   Até breve...


Sinopse:
   As horas passam mas Naomi não aparece. A noite avança e Jenny desespera. A filha adolescente já devia ter voltado da escola, onde participou numa peça de teatro. A vida de Jenny, uma médica casada com um neurocirurgião de sucesso, está prestes a mudar. 
   Um ano depois da noite fatídica, Naomi continua desaparecida. A polícia procurou em vão e os piores cenários (rapto ou homicídio) parecem hipóteses remotas. A busca obsessiva de Jenny, que não desiste da filha, sugere outra explicação: as pessoas em quem confiava e que julgava conhecer têm escondido segredos – sobretudo a própria Naomi. 
   A Filha Desaparecida é um bestseller internacional.

Opinião:
   Li este livro há algum tempo, quando vi a sinopse achei que seria um excelente livro carregado de mistério, tal como eu gosto dentro deste género literário.
   Desde o início, nota-se imediatamente que a escrita é fluída, de fácil leitura e que vai prendendo o leitor devido ao suspense e mistério que estão sempre a tomar conta de toda a história. Foi um estilo de escrita que apreciei imenso devido à carga emocional que é colocada nas palavras, ficamos a compreender profundamente o que um dado personagem sente, é como se nós próprios o pudéssemos sentir também.
   Por outro lado, considero que o livro peca um pouco por falta de acção, a narrativa segue muito linear durante grande parte da história, e se não fosse o suspense que se cria, creio que algumas pessoas se sentiriam tentadas a abandonar a leitura. 
   Contudo, foi um livro que me cativou bastante devido à forma como é apresentado. Esta história chega-nos contada em dois espaços temporais distintos, presente e passado. Penso que este facto acaba por levar a uma melhor compreensão de certas situações e contribui para o suspense que já mencionei anteriormente. 
   As mudanças temporais, dão-nos ainda uma melhor visão sobre a Jenny, pois conseguimos ver como esta se sentia, e como era a sua vida, antes e depois do desaparecimento da sua filha Naomi. Ficamos assim com uma real percepção do quanto este acontecimento a afectou.  
   Este é um livro que nos mostra o quanto a adolescência é uma fase difícil, tanto para os adolescentes como para os pais, pois os segredos e mentiras acabam por marcar e mudar fortemente o sentido dos factos e da história.
   Ao longo da narrativa várias peças inesperadas vão sendo encaixadas e o final acaba por ser muito diferente daquele que eu esperava ao longo da leitura. Não posso dizer que tenha ficado cem por cento satisfeita e espera algo mais uma vez que, a meu ver, o resto do livro acaba por ser muito bem conseguido, merecendo por isso um final melhor.
   Ainda assim, foi uma boa leitura e recomendo a todos os que gostam deste tipo de literatura, com muito suspense e revelações surpreendentes. 

Classificação: