Uma fábula sobre o poder das ideias inovadoras em momentos de crise.

   Dez anos depois da publicação do bestseller O nosso icebergue está a derreter, chega um novo livro de John Kotter e Holger Rathgeber.

   No próximo dia 27 de abril, a Porto Editora publica o novo livro de John Kotter e Holger Rathgeber, O nosso deserto está a mudar.
   Dez anos depois da publicação do bestseller O nosso icebergue está a derreter, os gurus da gestão e da liderança regressam com uma nova fábula que promete ajudar as empresas a ultrapassarem momentos de crise.
   Tomando como exemplo um grupo de suricatas – em que qualquer semelhança com humanos não é pura coincidência – Kotter e Rathgeber explicam o valor das ideias inovadoras e a razão pela qual o velho lugarcomum “é boa ideia, mas…”, que várias vezes justifica hábitos enraizados, pode ser fatal para as organizações.
   Este é um livro fundamental para todos os que percebem que podem evoluir através da inovação e da mudança, antes que seja demasiado tarde. E nisso, as lições da fábula criada por John Kotter e Holger Rathgeber podem ser determinantes.

SINOPSE
   Dez anos depois de O nosso icebergue está a derreter, os gurus da liderança e gestão John Kotter e Holger Rathgeber estão de regresso com um livro surpreendente. Desta vez, apresentam uma fábula que promete ajudar as empresas a ultrapassarem os momentos de crise.
   Era uma vez um simpático grupo de suricatas que vivia alegremente no deserto do Calaári, uma região inóspita no Sul do continente africano. Depois de longos anos de estabilidade e crescimento, uma seca prolongada traz consigo a escassez de alimento e frequentes ataques de predadores, ameaçando a sobrevivência do grupo.
   Inconformada com a situação e temendo pelo futuro de todos, Nadia, uma audaz jovem suricata, decide partir em busca de novas ideias e estratégias que possam ajudar a resolver os problemas do clã.

Primeiras páginas
Disponíveis aqui.

OS AUTORES
   John Kotter, autor do bestseller internacional O nosso icebergue está a derreter, é professor jubilado da Harvard Business School e um guru da liderança e da mudança. Os seus livros foram publicados em dezenas de países e tornaram-se bestsellers um pouco por todo o Mundo. É fundador da Kotter International, uma empresa de consultoria especializada em ajudar gestores a transformarem as suas empresas.

   Holger Rathgeber desempenhou um cargo executivo na Becton Dickinson, uma das mais importantes empresas de tecnologia médica do Mundo, e é coautor do sucesso O nosso icebergue está a derreter.

360 páginas 
PVP 15,50€

   Chega esta semana às livrarias o segundo volume da série Maiden Lane, cheio de lealdade, perigo, e paixão.

   As suas vidas eram perfeitas... até se conhecerem um ao outro. Lady Hero Batten, a bela irmã do duque de Wakefield, pode gabar-se de ter tudo. Até está noiva do cobiçado marquês de Mandeville. Ele pode ser um nadinha enfadonho, e não ter qualquer sentido de humor, mas isso não é nada que a incomode... até ao dia em que conhece o irmão dele... Griffin Remmington, Lorde Reading, está longe de ser perfeito. Leva um estilo de vida debochado e entrega-se a atividades pouco recomendáveis, mas é divertido, e o seu sentido de humor não tem par. No momento em que o conhece – numa posição deveras comprometedora, por sinal - Hero percebe que um homem detestável como ele não pode ter lugar na sua vida. Mas a constante batalha de vontades entre os dois não tarda a atear as chamas do desejo....
   À medida que se aproxima o dia do casamento de Hero, é preciso colocar tudo na balança. Existirá de facto algum futuro para o casal mais inesperado do mundo?

   Elizabeth Hoyt nasceu em Nova Orleães, EUA, onde a família da mãe vive há várias gerações, mas foi criada nos invernos gélidos de St. Paul, no Minnesota. Tem uma licenciatura em Antropologia. Conheceu o marido, arqueólogo, numa escavação num campo de milho, e desde então ambos tentam passar férias que acabem invariavelmente em sítios arqueológicos. A família Hoyt vive no centro do Illinois, com os seus dois filhos, três cães e um jardim que Elizabeth cuida com entusiasmo

   Já há muito tempo que não vos trazia uma TaG. Encontrei esta no blog "Cantinho da Tily" e decidi trazê-la para aqui de modo a me conhecerem um pouco mais para além dos meus gostos literários.


1. Você gosta do seu nome ou mudaria?

   Confesso que em criança não gostava do meu nome. Contudo, ao longo do tempo, fui-me habituando e hoje adoro-o e não o trocaria por nenhum outro.

2. Gostaria de ser mais velha ou mais nova?
   Não me importava de voltar uns aninhos atrás no tempo, mas a minha idade também não é propriamente muito avançada e ainda não me incomoda.

3. Você queria ter nascido loira, morena, ruiva, negra ou mulata?
   Gosto muito de ser morena mas também não me importava nada de ter nascido ruiva.

4. E quanto a cor dos olhos, azuis, verdes, castanhos ou pretos?
   Adoro os meus olhos verdes, são a parte do corpo que mais gosto em mim!

5. Seu cabelo é natural ou tingido?
   Nunca pintei o cabelo e não pintarei até que os brancos surjam em força :)

6. Gostaria de ser mais alta ou mais baixa?
   Tenho 1,67m e sinto-me bem assim.

7. Gostaria de ser mais magra ou mais encorpada?
   Sinto-me bem como estou, apenas gostaria de ter as pernas um pouco mais magras.

8. Você é mais menininha ou mais desencanada?
   Tem dias, costumo variar imenso actualmente.

9. Você prefere usar calça jeans ou shorts jeans?
   Gosto das duas coisas, mas só costumo usar calções no verão porque sou muito friorenta.

10. Vestido ou saia?
   Uso os dois mas prefiro o vestido.

11. Macacão ou jardineira?
   Odeio jardineiras, por isso macacão claro!

12. Prefere usar, sapatilhas e saltos? ou ténis e chinelos?
   Uso de tudo, dependendo das ocasiões. Mas tenho um fraquinho por ténis e chinelos!

13. Você compra mais produtos de maquilhagem e cosméticos? Ou roupas e acessórios?
   Compro muito mais roupa e acessórios.

14. Você se arruma mais para o dia, tarde ou noite?
   Dependo do que vou fazer, mas normalmente produzo-me mais quando saio à noite.

15. Qual celebridade você gostaria de ser?
   Bem, no mundo do cinema, adoro a Angelina Jolie. Ela é uma mulher bonita e guerreira! Uma gémeos como eu :) 

Se defina em 3 PALAVRAS: Imprevisível, Amigável, Sincera.

   Espero que tenham gostado, eu diverti-me imenso a responder! Já sabem que não costumo nomear ninguém para as Tags mas sintam-se todos nomeados e, caso tenham gostado, levem-na convosco.
Até breve...



Prefácio: Rui Marques
Tradução: Ana Maria Chaves, Maria da Luz Rodrigues e Márcia Montenegro
Págs.: 240
Capa: mole com badanas
PVP: 16,60 €

O testemunho de uma esperança maior do que todo o mar

   Melissa Fleming, porta-voz do ACNUR, e Doaa Al Zamel estarão em Lisboa nos dias 27 e 28 de Abril para apresentar livro

   No próximo dia 20 de Abril, a Porto Editora publica uma obra essencial sobre uma das maiores tragédias dos nossos dias. Da autoria de Melissa Fleming, porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e conselheira sénior do Secretário-Geral das Nações Unidas, Uma esperança mais forte do que o mar é uma chamada de atenção para a situação dramática por que passam milhares de refugiados sírios que procuram abrigo na Europa. É também uma história extraordinária de uma jovem corajosa, Doaa Al Zamel, e da sua luta pela sobrevivência. Melissa Fleming e Doaa irão estar em Lisboa, nos próximos dias 27 e 28 de Abril, para apresentar este livro.


   Esta narrativa começa nos primeiros dias da sublevação síria contra o governo de Al Assad, no “berço da revolução”, a cidade de Daara. Com o agigantar da repressão e da violência, a família Al Zamel perde todos os seus meios de subsistência e decide viajar para o Egito. Ali, após uma temporada de relativa tranquilidade, a comunidade em que se integram começa a ser perseguida, o que motiva uma drástica decisão: Doaa quer enfrentar o Mediterrâneo para tentar viver uma nova vida na Europa, longe da guerra.
   Esta fuga faz-se em barcos sem quaisquer condições, iludindo as autoridades. Após quatro dias a navegar, o seu barco é criminosamente abalroado e praticamente todos os ocupantes – 500 pessoas comprimidas num espaço exíguo – morrem.

   Durante quatro dias e quatro noites, Dooa ficou à deriva numa pequena bóia, protegendo duas crianças, depois de ter visto morrer quase todos os seus companheiros de travessia. No entanto, a sua esperança e a sua fé eram maiores e mais fortes do que todo o mar. Este é um livro fundamental sobre esta crise humanitária e o testemunho de Doaa Al Zamel dá rosto à tragédia pela qual passam milhares de pessoas em busca de paz e de uma vida melhor.


SESSÃO DE APRESENTAÇÃO
   Uma esperança mais forte do que o mar é apresentado no dia 27 de Abril, às 18:30, no auditório da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, numa sessão com a presença de Rui Marques (Plataforma de Apoio aos Refugiados) e Pedro Calado (Alto-Comissário para as Migrações).

SINOPSE
   Uma Esperança Mais Forte do que o Mar é uma chamada de atenção para a situação dramática por que passam largos milhares de refugiados sírios que procuram abrigo na Europa, tentando escapar a uma guerra que destruiu o seu país. Esta é a história extraordinária de uma jovem corajosa e da sua luta pela sobrevivência.

EXCERTO DO PREFÁCIO DE RUI MARQUES
   Um dos nossos maiores erros quando olhamos para a «crise dos refugiados» é pensar em multidões em marcha, numa massa informe, onde só se perceciona ruído e se teme uma «invasão». Tenho para mim que essa imagem perturba a verdadeira compreensão do que quer dizer a tragédia de cada uma desta pessoas. As massas apagam as pessoas. Tiram-lhes a alma. Na verdade, deveríamos ser capazes de parar em cada uma destas pessoas, sem desviar o olhar, nem acelerar o tempo. (…) O extraordinário nesta obra de Melissa Fleming é ter captado esse ânguloessencial.

SOBRE O LIVRO
   Melissa Fleming é a porta-voz mais competente que eu encontrei em 45 anos de vida política e profissional. Mas o que este livro demonstra vai muito para além disso. Ele revela não só o conhecimento profundo do tema dos refugiados em toda a sua complexidade, a inteligência das análises e o talento literário da autora, mas também uma extraordinária sensibilidade humana, um profundo empenhamento militante numa causa tão nobre e uma total solidariedade com os que sofrem, com os mais vulneráveis dos vulneráveis neste mundo cruel. Um livro admirável duma autora que o não é menos.
António Guterres


A AUTORA
   Melissa Fleming é a Directora de Comunicação e a porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR). Tem sido uma das vozes mais activas no combate à indiferença, chamando a atenção para a grave crise humanitária que aflige milhões de seres humanos deslocados devido à guerra nos seus países de origem.